ÁGUAS DO NILO

“SECARÃO AS ÁGUAS DO NILO, E O RIO SE TORNARÁ SECO E ÁRIDO. OS CANAIS EXALARÃO MAU CHEIRO, E OS BRAÇOS DO NILO DIMINUIRÃO E SE ESGOTARÃO: AS CANAS E OS JUNCOS SE MURCHARÃO. A RELVA QUE ESTÁ JUNTO AO NILO, JUNTO AS SUAS RIBANCEIRAS E TUDO O QUE FOI SEMEADO JUNTO DELE SE SECARÃO, SERÃO LEVADOS PELO VENTO E NÃO SUBSISTIRÃO.”
A indústria da pescaria, bem como a agricultura, todas as fazendas, o famoso linho egípcio, todas essas coisas, vem por meio do rio Nilo. E é a maneira como isso funciona através da história, como o Senhor tem ordenado, que cada ano o Nilo ocorre uma inundação, e quando isso ocorre ele espalha todo seu rico iodo por toda planície inundada e com isso sempre é fertilizada, e com isso faz que o Egito tenha essa rica agricultura. Então esse tem sempre sido o padrão através da história. Bem o problema é que nos ano 60 e 70 o Egito se comprometeu a criar a Represa de Assuã. O projeto da Represa de Assuã é uma das maiores obras de engenharia da história moderna, mas também se tornou um dos maiores desastres do nosso tempo.

A idéia é que os egípcios colocariam a barragem de Varsóvia no lago Nasser e enchê-lo, e que eles teriam essa água como recurso.O problema é que quando isso aconteceu é que todo esse rico Iodo que era depositado ano após ano nas planícies inundadas ao longo do Nilo, agora estava enchendo o lago Nasser, ao invés de estar se enchendo de água e mais água está sendo arrancado pelos ventos quentes do deserto. Eles estão perdendo recursos ao invés de ganhar tremendo recursos. E algumas estimativas dizem que por causa da Represa de Assuã o rio Nilo agora está aproximadamente 20% abaixo do seu nível histórico.

Esse realmente foi o primeiro ataque contra o Nilo. Represa de Assuã. E em segundo lugar hoje você tem a Grande Barragem Renascença da Etiópia que foi construída rio abaixo. Essa é uma grande questão, o impacto ecológico ainda vai ser visto, mas nós veremos o resultado provavelmente na próxima década, onde completarão esse próximo projeto de barragem. E em terceiro lugar nós temos a questão da Península da Arábia Saudita ficar sem água.E o que temos são esses ricos sauditas que agora estão comprando massivas áreas de terras na Etiópia e nas bases do Nilo para os dias, talvez nos proximos anos quando os sauditas ficarem sem agua. Então preparando para isso, eles estão comprando grandes partes de terra. Dentro de alguns anos a questão do rio Nilo estar secando ou diminuindo é uma questão que realmente temos que ver. Do mesmo modo que nós temos visto os inícios da guerra civil nós agora estamos vendo o inicio de uma enorme crise ecológica com o rio Nilo.

Como resultado do rio Nilo está sendo empobrecido, Isaías segue em frente descrevendo a desolação da economia egípcia, então começando nos versos 8 até o 10, pulando o 4 até o verso 15 lemos isso.

“Os pescadores gemerão, suspirarão todos os que lançam anzol ao rio, e os que estendem redes sobre as águas desfalecerão, consternar-se-aõ os que trabalham em linho fino e os que tecem pano de algodão.Os seus grandes serão esmagados, e todos os jornaleiros andarão de alma entristecida.”

Então a primeira porção da profecia é a guerra civil começando no Egito, depois você tem a seca no Nilo, é como fosse um segundo ataque contra a nação do Egito.

Agora a fim de compreender quão significativo o rio Nilo é para a nação do Egito, temos que entender que o Egito hoje é a nação árabe mais populosa no mundo. Você tem aproximadamente 83 milhões de árabes no Egito, muito mais do que qualquer nação árabe. E através da história o rio Nilo sempre tem sido a fonte primária para essa enorme nação desértica. Se não fosse essa base do Nilo cercando a região, muito do país só restariam apenas alguns oásis, e esta viraria completamente um deserto.

“ENTÃO ESSAS 83 MILHÕES DE PESSOAS TEM QUE SE SUBSISTIR PELO RIO NILO”.

JOEL RICHARDSON

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 7 = 12

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>